Primeiro mês como Presidente – Jair Bolsonaro

primeiro mes jair bolsonaro

Primeiro mês como Presidente – Jair Bolsonaro

Trigésimo oitavo presidente da República, Jair Bolsonaro completará nesta sexta-feira (1º) seu primeiro mês de governo – um início de gestão marcado por uma promessa de campanha cumprida, pela pressão contra Nicolás Maduro, o governo e mercado vivem uma expectativa pela reforma da previência. O governo viver também uma pressão extra por causa da barragem em Minas Gerais.

Eleito com um discurso de renovação, conservador nos costumes e linha dura na segurança pública, Bolsonaro adotou uma série de medidas no primeiro mês de governo, entre as quais:

 

  • assinou decreto que flexibilizou a posse de armas de fogo;
  • reduziu de 27 para 22 o número de ministérios;
  • estreou em eventos internacionais em Davos, na Suíça;
  • definiu metas para os primeiros 100 dias de governo;
  • reconheceu Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela;
  • transferiu para a Agricultura a atribuição de demarcar terras indígenas e quilombolas;
  • determinou à Secretaria de Governo o monitoramento de ONGs;
  • deu aval à criação de uma nova empresa de aviação entre Embraer e Boeing.
  • Firmou aliança com Israel
  • Bolsa Bate Recordes gerada por expectativas de um novo Brasil
  • Dólar despenca
  • Agilidade para atender as vitimas em na  barragem em Minas Gerais.

 

Reforma da Previdência

A promessa de um governo liberal, a escolha de Paulo Guedes como ministro da Economia e a expectativa pelas reformas animaram os investidores no primeiro mês do governo. Com um novo congresso pela frente Bolsonaro e sua equipe terá a difícil missão de aprovar a reforma da Previdência, esse que é o carro Chefe, sem reforma, todos os outros projetos ficam ameaçados.



Guedes adiantou que a proposta incluirá um regime de capitalização, espécie de poupança que o trabalhador faz para assegurar a aposentadoria no futuro. O regime atual no Brasil é o de repartição, pelo qual o trabalhador ativo paga os benefícios de quem está aposentado.

Nesta quarta feira (30) O serecetário da previdencia informou que o Persidente Jair Bolsonaro mandou colocar os militares também na reforma, militares esses que só entrariam na reforma em um segundo momento.

Contudo, como o mesmo Presidente disse em DAVOS “Temos que Governar pelo Exemplo”

O governo estuda aumentar de 30 para 35 anos o período mínimo de trabalho para que militares possam passar para a reserva, bem como a cobrança de uma contribuição de pensionistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.