Deus envia furacões e terremotos?

O que a Bíblia diz sobre furacões, tornados e outros desastres naturais? A Bíblia dá uma resposta a por que o mundo está tão confuso se Deus realmente está no controle? Como poderia um Deus de amor deixar massas de pessoas morrerem de furacões assassinos, terremotos catastróficos, tsunamis, ataques terroristas e doenças? Por que essa carnificina e caos tão bizarros? O mundo está chegando ao fim? Deus está derramando sua ira sobre os pecadores? Por que tantas vezes são os corpos inchados dos pobres, dos idosos e das crianças que estão espalhados entre os escombros? Essas são as perguntas que a maioria das pessoas está implorando para serem respondidas.

Deus é responsável por desastres naturais?

Embora Deus seja frequentemente visto como Aquele que causa essas terríveis catástrofes, Ele não é responsável. Deus não está no negócio de causar desastres naturais e calamidades. Pelo contrário, Ele é o doador da vida. A Bíblia diz: “Porque os céus se desvanecerão como a fumaça, e a terra envelhecerá como um vestido, e os que habitam nela morrerão da mesma maneira; mas a minha salvação será para sempre, e a minha justiça não será abolida. “(Isaías 51: 6). Este texto declara uma diferença dramática entre as calamidades naturais e a obra de Deus.

Quando Deus veio à Terra na forma de homem, Ele nada fez para ferir as pessoas, apenas para ajudá-las. Jesus disse: “Pois o Filho do Homem não veio para destruir a vida dos homens, mas para salvá-los” (Lucas 9:56). Ele disse: “Muitas boas obras vos mostrei de meu Pai. Por quais dessas obras me apedrejais?” (João 10:32) Ele diz: “… não é a vontade do vosso Pai que está no Céu que um destes pequeninos pereça” (Mateus 18:14).

Era o desígnio de Deus que Seus filhos e filhas sentissem sempre a fragrância das flores exóticas, não os cadáveres apodrecendo. Eles devem sempre apreciar as iguarias de frutas tropicais e pratos saborosos, não enfrentar fome e fome. Ele é o único que fornece o ar fresco de uma montanha e água fria e espumante, não a poluição feia.

Por que a natureza parece estar se tornando cada vez mais destrutiva?

ThinkstockPhotos-477803179-750px Deus envia furacões e terremotos?

Quando Adão e Eva pecaram, isso trouxe uma conseqüência natural para a terra. “E a Adão, ele [Deus] disse:” Porque deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: “Não comerás dela”, maldita é a terra de teu amor; com tristeza comerás dela todos os dias da tua vida (Gn 3:17). Os descendentes de Adão tornaram-se tão violentos e corruptos que Deus permitiu que o mundo fosse destruído por um dilúvio global (Gênesis 6: 5,11). As fontes do abismo foram quebradas (Gênesis 7:11). Houve uma grande atividade vulcânica. As camadas da crosta terrestre foram formadas e a natureza foi desviada de seu curso dado por Deus. O palco estava montado para terremotos e tempestades assassinas. Como as conseqüências do pecado progrediram desde então, o mundo natural está chegando ao fim; os resultados da desobediência de nossos primeiros pais estão se tornando cada vez mais evidentes à medida que esse mundo se esgota. Mas Deus ainda está no negócio de resgatar, ajudar e curar. Ele oferece salvação e vida eterna a todos os que O receberem.

Se Deus não traz desastres naturais, quem faz?

Muitas pessoas não acreditam em um diabo real, mas a Bíblia é muito clara sobre este ponto. Satanás existe e ele é o destruidor. Jesus disse: “Vi Satanás cair como relâmpago do céu” (Lucas 10:18, NKJV). Satanás já foi um anjo sagrado à direita de Deus no céu (Isaías 14 e Ezequiel 28). Ele se rebelou contra Deus e foi expulso do céu. “Então o grande dragão foi expulso, aquela antiga serpente, chamada Diabo e Satanás, que engana o mundo inteiro; foi lançado na terra e seus anjos foram expulsos com ele ”(Apocalipse 12: 9). Jesus disse: “o diabo foi homicida desde o princípio e pai da mentira” (João 8:44). A Bíblia diz que o diabo tenta enganar o mundo inteiro, e uma das maneiras pelas quais ele tenta fazer isso é espalhando a idéia de que não há diabo verdadeiro. De acordo com pesquisas recentes, cada vez menos pessoas na América acreditam que o diabo realmente existe. A existência de um demônio real é a única coisa que pode explicar a existência do mal em um mundo que é predominantemente bom. “Ai dos habitantes da terra e do mar! Porque o diabo desceu a ti, tendo grande ira, porque sabe que ele tem pouco tempo ”(Apocalipse 12:12).

A história do Velho Testamento de Jó é um exemplo clássico de como Deus às vezes permite que Satanás traga calamidades. Jó perdeu seu gado, suas colheitas e sua família para ataques violentos, um furacão assassino e uma tempestade de fogo. Os amigos de Jó disseram que esses desastres vieram de Deus, mas uma leitura cuidadosa do livro de Jó revela que foi Satanás quem trouxe esses males (ver Jó 1: 1-12).

Por que Deus dá permissão a Satanás para destruir?

Satanás enganou Eva, e através dela ele levou Adão a pecar. Por ter tentado os primeiros seres humanos – a cabeça da raça humana – em pecado, Satanás alegou que eles o haviam escolhido como o deus deste mundo (veja 2 Coríntios 4: 4). Ele afirma ser o governante legítimo deste mundo (ver Mateus 4: 8, 9). Através dos tempos, Satanás tem lutado contra Deus, tentando estabelecer sua reivindicação a este mundo. Ele aponta para todos aqueles que escolheram segui-lo como prova de que ele é o legítimo governante deste mundo. A Bíblia diz: “Você não sabe que a quem você se apresenta escravo para obedecer, você é aquele escravo a quem você obedece, seja do pecado que leva à morte, ou da obediência levando à justiça?” (Romanos 6:16, NKJV ). Deus deu Seus Dez Mandamentos como regras eternas para viver, para determinar o que é certo e errado. Ele se oferece para escrever essas leis em nossos corações e mentes. Muitos, no entanto, escolhem negligenciar Sua oferta de uma nova vida e escolher viver fora da vontade de Deus. Ao fazer isso, eles apóiam a reivindicação de Satanás contra Deus. A Bíblia diz que esta situação só vai piorar com o passar do tempo. Nos últimos dias, “homens maus e impostores se tornarão piores e piores, enganando e sendo enganados” (2 Timóteo 3:13, NKJV). Quando homens e mulheres se afastam da proteção de Deus, estão sujeitos ao ódio destruidor de Satanás. NKJV). Quando homens e mulheres se afastam da proteção de Deus, estão sujeitos ao ódio destruidor de Satanás. NKJV). Quando homens e mulheres se afastam da proteção de Deus, estão sujeitos ao ódio destruidor de Satanás.

Deus é amor e Seu caráter é perfeitamente altruísta e justo. Portanto, seu próprio caráter impede que ele faça qualquer coisa que seja injusta. Ele não interferirá na livre escolha do homem. Aqueles que escolhem seguir a Satanás são livres para fazê-lo. E Deus permitirá que Satanás demonstre ao universo quais são as conseqüências do pecado. Nas calamidades e desastres que acontecem na terra e destroem vidas, podemos ver como é o pecado, como é a vida quando Satanás tem seu próprio caminho.

Um adolescente rebelde pode optar por sair de casa porque acha as regras muito restritivas. Ele pode encontrar um mundo cruel esperando para ensinar-lhe as duras realidades da vida. Mas os pais não param de amar seu filho ou filha rebelde. Eles não querem que eles sejam feridos, mas eles podem fazer pouco para impedi-lo se a criança estiver determinada a seguir seu próprio caminho. Os pais esperam e rezam para que as difíceis realidades do mundo tragam seus filhos para casa, assim como o filho pródigo da Bíblia (ver Lucas 15:18). Falando daqueles que escolhem seguir a Satanás, Deus diz: “Eu os abandonarei e esconder-lhes-ei a minha face, e eles serão devorados. E muitos males e dificuldades cairão sobre eles, de modo que dirão naquele dia: ‘Não nos chegaram estes males porque o nosso Deus não está no meio de nós?’ ”(Deuteronômio 31:17, NKJV). Esta é a mensagem que podemos aprender de calamidades e desastres naturais. Eles podem nos levar a buscar o Senhor.

Por que Deus criou o diabo?

Na verdade, Deus não criou o diabo. Deus criou um lindo e perfeito anjo chamado Lúcifer (ver Isaías 14, Ezequiel 28). Lúcifer, por sua vez, fez um demônio de si mesmo. O orgulho de Lúcifer fez com que ele se rebelasse contra Deus e o desafiasse pela supremacia. Ele foi expulso do céu e veio a esta terra onde tentou um homem e uma mulher perfeitos para pecar. Quando eles fizeram isso, eles abriram uma comporta do mal sobre o mundo.

Por que Deus não mata o diabo?

Alguns se perguntaram: “Por que Deus não impede o diabo? Se não é da vontade de Deus que as pessoas morram, por que Ele permite que isso aconteça? As coisas foram além do controle de Deus?

Deus poderia ter destruído Satanás quando ele se rebelou no céu. Deus poderia ter destruído Adão e Eva quando eles pecaram – e começaram de novo. No entanto, se Ele tivesse feito isso, Ele teria governado do ponto de vista da força, ao invés do amor. Os anjos no céu e os seres humanos na Terra o serviriam do medo, não do amor. Para que o amor floresça, deve operar com base no princípio da liberdade de escolha. Sem liberdade de escolha, não haveria amor real. Nós simplesmente seríamos robôs. Deus escolheu preservar nossa liberdade de escolha e governar pelo amor. Ele escolheu permitir que Satanás e o pecado seguissem seu curso. Ele nos permitiria e ao universo ver onde o pecado levaria. Ele nos deixava ver as razões para fazer a escolha de servi-lo em amor.

Por que tantas vezes são os pobres, os idosos e as crianças que mais sofrem?

É justo que o inocente sofra? Não é justo. O ponto é que o pecado não é justo. Deus é justo, mas o pecado não é justo. Essa é a natureza do pecado. Quando Adão pecou, ​​ele entregou a si mesmo e a raça humana nas mãos de um destruidor. Deus permite que Satanás se torne ativo em trabalhar através da natureza para provocar a destruição como conseqüência da escolha do homem. Deus não quer que isso aconteça. Ele não queria que Adão e Eva pecassem. Mas ele permitiu, porque essa era a única maneira que os seres humanos poderiam ter o dom da liberdade de escolha.

Um filho ou filha pode se rebelar contra bons pais e sair para o mundo e viver uma vida de pecado. Eles podem ter filhos. Eles podem abusar das crianças. Isso não é justo, mas acontece quando as pessoas fazem escolhas erradas. Um pai ou avô amoroso gostaria de resgatar crianças maltratadas. E Deus também. É por isso que Jesus veio a essa terra.

Deus envia calamidades para matar pecadores?

Alguns erroneamente pensam que Deus sempre envia calamidades para punir os pecadores. Isso não é verdade. Jesus comentou sobre atos de violência e calamidades naturais que aconteceram em sua época. A Bíblia diz: “Naquele tempo estavam presentes alguns que lhe falaram dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com seus sacrifícios. E Jesus, respondendo, disse-lhes:” Suponham que esses galileus eram pecadores acima de todos os outros galileus, porque sofreu tais coisas? Eu te digo, não; mas a menos que vos arrependais, todos da mesma maneira perecerão. Ou aqueles dezoito sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, pensam que eram pecadores acima de todos os outros homens que habitavam em Jerusalém? Eu te digo, não; mas a menos que vos arrependais, todos da mesma maneira perecerão ”(Lucas 13: 1-5).

Essas coisas aconteceram porque em um mundo de pecado existem calamidades e atrocidades que acontecem que não aconteceriam em um mundo perfeito. Isso não significa que todo mundo que morre em tais calamidades é um pecador, nem significa que Deus causa a calamidade. Muitas vezes, é o inocente que sofre as conseqüências de viver neste mundo de pecado.

Mas Deus não destruiu cidades perversas como Sodoma e Gomorra?

Sim. Nos tempos passados, Deus trouxe julgamento sobre os ímpios, como fez no caso de Sodoma e Gomorra. A Bíblia diz: “Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades ao redor deles de maneira similar a estas, tendo se entregado à imoralidade sexual e ido atrás de carne estranha, são apresentadas como exemplo, sofrendo a vingança do fogo eterno” (Judas 7, NKJV) A destruição dessas cidades perversas foi um exemplo dos julgamentos que virão sobre o mundo inteiro no final dos tempos como resultado do pecado. Em Sua misericórdia, Deus permitiu que Seu julgamento caísse em Sodoma e Gomorra para que muitos outros fossem advertidos. Isso não significa necessariamente que, quando um terremoto, um tornado ou um tsunami aconteça, Deus está despejando sua ira em juízo sobre cidades como Nova York, Nova Orleans ou Porto Príncipe.

Alguns sugeriram que os desastres naturais são talvez o começo dos juízos finais de Deus sobre os iníquos. Não se deve descartar a possibilidade de que os pecadores estejam recebendo as conseqüências de sua rebelião contra Deus, mas não podemos correlacionar desastres específicos com retribuição divina contra pecadores ou pecados específicos. Esses eventos horríveis podem ser simplesmente o resultado de viver em um mundo tão distante do ideal de Deus. Mesmo que esses desastres possam ser considerados alertas precoces do julgamento final de Deus, ninguém deve concluir que todos os que morrem neles estão eternamente perdidos. Jesus disse que no julgamento final seria mais tolerável para alguns dos que foram destruídos em Sodoma do que para aqueles que rejeitam Seu convite para a salvação em cidades que não foram destruídas (ver Lucas 10: 12-15).

Qual é a ira de Deus que será derramada nos últimos dias?

A Bíblia explica a ira de Deus como permitindo que os seres humanos escolham separar-se de Deus, se assim desejarem. Quando a Bíblia fala sobre a ira de Deus, isso não significa que Deus é vingativo ou retaliador. Deus é amor e Ele quer que todos sejam salvos. Mas Ele permite que homens e mulheres sigam seu próprio caminho, se insistirem em fazê-lo. A Bíblia diz que a destruição vem para os ímpios, porque “o meu povo cometeu dois males: eles me abandonaram, a fonte das águas vivas, e cavaram para si mesmos as cisternas – cisternas partidas, que não podem reter água” (Jeremias 2:13). ).

Isso nos diz que a ira de Deus é a consequência inevitável que vem para aqueles que escolhem se separar Dele. Deus não quer desistir de nenhum de seus filhos para a destruição. Ele diz: “Como eu vou desistir de você, Efraim? Como posso te entregar, Israel? Como posso fazer você gostar de Admah? Como posso definir você como Zeboiim? Meu coração se agita dentro de mim; minha simpatia é agitada ”(Oséias 11: 8). O Senhor deseja com todo o seu coração ver todos eternamente salvos. “Vivo eu, diz o Senhor Deus, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas sim em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Vire-se, vire-se dos seus caminhos do mal! Porque por que morrerias, ó casa de Israel? ”(Ezequiel 33:11).

Deus está de férias? Por que parece que Ele está ao lado e deixa tudo isso acontecer?

Onde está Deus quando tudo isso acontece? Não são boas as pessoas que rezam por segurança? A Bíblia diz: “Eu sou um Deus próximo, diz o Senhor, e não um Deus distante?” (Jeremias 23:23) O Filho de Deus não permaneceu indiferente ao sofrimento. Ele sofre com o inocente. Ele foi o exemplo clássico do sofrimento dos inocentes. De fato, desde o começo, Ele fez apenas o bem. Ele aceitou a consequência de nossa rebelião contra Si mesmo. Ele não ficou longe. Ele veio a este mundo e sofreu em nosso sofrimento. O próprio Deus experimentou a dor mais horrível que se pode imaginar na cruz. Ele suportou a dor da hostilidade de uma raça humana pecadora. Ele tomou sobre Si a conseqüência de nossos pecados.

Quando desastres acontecem, o ponto real é que eles podem acontecer a qualquer um de nós a qualquer momento. É somente porque Deus é amor que um batimento cardíaco segue outro. Ele dá vida e amor a todos. Todos os dias, bilhões de pessoas acordam com ar puro, sol quente, comida deliciosa e lares confortáveis ​​- porque Deus é amor e derrama Suas bênçãos na terra. No entanto, não temos nenhuma reivindicação individual sobre a vida, como se tivéssemos nos criado. Devemos reconhecer que vivemos em um mundo que está sujeito à morte por uma variedade de fontes. Precisamos lembrar, como Jesus disse, que a menos que nos arrependamos, todos nós também pereceremos. Calamidades servem para nos lembrar do fato de que, além da salvação que Jesus oferece, não há esperança para a raça humana. Podemos esperar mais e mais destruição à medida que nos aproximamos do tempo de Seu retorno à Terra. “Agora é hora de acordar fora do sono; por ora, nossa salvação está mais próxima do que quando cremos primeiro ”(Romanos 13:11, NKJV).

Não mais dor

As calamidades e catástrofes que engolem nosso mundo servem como lembretes de que esse mundo de pecado, dor, ódio, medo e tragédia não durará para sempre. Jesus prometeu que Ele retornará à Terra para nos salvar do nosso mundo que está caindo aos pedaços. Deus prometeu tornar tudo novo novamente e que o pecado nunca mais se levantará (veja Naum 1: 9). Deus viverá com o Seu povo e haverá um fim para a morte, o choro e a dor. “E ouvi uma voz alta do trono, dizendo: ‘Agora a morada de Deus é com os homens e ele viverá com eles. Eles serão o seu povo, e o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele limpará toda lágrima de seus olhos. Não haverá mais morte, luto, choro ou dor, pois a velha ordem das coisas já passou ”(Apocalipse 21: 3, 4).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.