Brasil confirma: Embaixada será em Jerusalém

Embaixada Brasileira, será em Jerusalém

Segundo o Filho do Presidente Eleito, Jair Bolsonaro irá  cumprir a promessa de campanha, diz que “Israel é um estado soberano” que decide por si mesmo onde está seu capital “, e nós devemos respeitar isso”

Apoiadores do parlamentar de extrema direita e candidato à presidência pelo Partido Social Liberal, Jair Bolsonaro, celebram no Rio de Janeiro, depois que o ex-capitão do exército venceu a eleição presidencial no Brasil, em 28 de outubro de 2018. (CARL DE SOUZA / AFP)

Apoiadores do parlamentar de extrema direita e candidato à presidência pelo Partido Social Liberal, Jair Bolsonaro, celebram no Rio de Janeiro, depois que o ex-capitão do exército venceu a eleição presidencial no Brasil, em 28 de outubro de 2018. (CARL DE SOUZA / AFP)

O presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, confirmou no Twitter na quinta-feira que pretende transferir a embaixada de seu país de Tel Aviv para Jerusalém.

“Como dito anteriormente durante nossa campanha, pretendemos transferir a embaixada brasileira de Tel-Aviv para Jerusalém”, escreveuBolsonaro no Twitter . “Israel é um estado soberano e nós devemos respeitar isso.”

A declaração pública de Bolsonaro confirmou seus comentários ao jornal hebreu Israel Hayom na quinta-feira. “Quando me perguntaram durante a campanha se eu faria isso quando me tornasse presidente, eu dizia: ‘Sim, aquele que decide sobre a capital de Israel é você, não outras nações'”, disse ele ao jornal, que é um apoiante firme do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Netanyahu recebeu entusiasticamente o anúncio na quinta-feira, dizendo em um comunicado: “Felicito meu amigo, o presidente eleito do Brasil Jair Bolsonaro, por sua intenção de transferir a embaixada brasileira para Jerusalém. Este é um passo histórico, correto e comovente. ”

Israel considera toda a cidade sua capital, enquanto os palestinos vêem Jerusalém Oriental como a capital do seu futuro estado, com grande parte da comunidade internacional encarando o status da cidade como um assunto para negociações entre os lados.

A embaixada se alinha diretamente a Bolsonaro com o presidente dos EUA, Donald Trump, e reforça sua imagem como um “Trunfo Tropical”.

Jair Bolsonaro faz gestos para os torcedores durante o segundo turno das eleições presidenciais, no Rio de Janeiro, Brasil, em 28 de outubro de 2018. (MAURO PIMENTEL / AFP)

Israel capturou Jerusalém Oriental da Jordânia na Guerra dos Seis Dias em 1967 e depois anexou-a em um movimento não reconhecido pela comunidade internacional.

Em dezembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, reverteu a política de longa data e reconheceu Jerusalém como a capital de Israel, levando o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, a boicotar sua administração.

Vista da embaixada dos EUA no bairro de Arnona, em Jerusalém, 13 de maio de 2018. (Yonatan Sindel / Flash90)

A embaixada foi oficialmente transferida em 14 de maio, com a Guatemala e o Paraguai seguindo o exemplo, embora o último tenha anunciado no mês passado que estivesse devolvendo sua embaixada a Tel Aviv.

Bolsonaro, de 63 anos, que venceu o segundo turno no domingo, deixou muitos indignados com sua retórica abertamente misógina, homofóbica e racista.

Após sua vitória, Netanyahu disse a Bolsonaro que estava certo de que sua eleição “levaria a uma grande amizade entre nossos povos e ao estreitamento dos laços entre o Brasil e Israel”.

Um funcionário do gabinete de Netanyahu disse à AFP que o primeiro-ministro “provavelmente” comparecerá à cerimônia de posse de Bolsonaro em janeiro.

As primeiras viagens estrangeiras de Bolsonaro como presidente serão para Israel, Estados Unidos e Chile – países que “compartilham nossa visão de mundo”, segundo o futuro do presidente eleito para chefe de gabinete, Onyx Lorenzoni.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.